quinta-feira, 13 de maio de 2021

Checklist para escolher fundos de investimentos!

 




Olá pessoal,

 

  Muitos de vocês que estão iniciando uma carteira de investimentos tem muitas dúvidas quanto à seleção dos fundos de investimentos. Vou passar um checklist prático para selecionar os seus fundos.    

  Primeiramente, existem 2 grandes troncos de fundos de investimentos: os fundos abertos e os fundos fechados. Você deve saber qual tronco de fundos melhor se adequa ao seu perfil de risco e aos seus objetivos. Podem ser os dois. Após isso você seguirá esse checklist abaixo:


1) Procure saber o nível de risco do fundo de investimento. Esse nível é medido numa escala de 1 a 5, onde 1 é risco muito baixo e 5 é risco muito alto;

 

2) Procure saber o tipo de fundo de investimento, podendo ser de renda fixa ou de renda variável. Os de renda fixa têm um risco mais baixo e os de renda variável têm um risco mais alto;

 

3) Procure saber o objeto do fundo de investimento, podendo ser atrelado aos títulos públicos ou a títulos de crédito privado, na renda fixa, adotando como referência a taxa Selic, o IPCA (inflação) ou o CDI. Ou podendo ser atrelado às ações ou ao câmbio, na renda variável, adotando como referência o índice Bovespa ou o dólar. E existem os fundos multimercados, que podem estar atrelados a um mix de ativos de renda fixa e renda variável;

 

4) Procure saber quem são o administrador e o gestor do fundo, o porte do fundo (patrimônio líquido) e a quantidade de cotistas. Essa etapa é para analisar a credibilidade e o nível de governança do fundo;

 

5) Procure saber qual é a taxa de administração e se cobra taxa de performance. Fundos de renda fixa cobram taxas menores e fundos de renda variável cobram taxas maiores. Essa taxa vai depender muito do nível de complexidade de gestão do fundo;

 

6) Procure saber o histórico de rentabilidade do fundo. Lembrando que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.        

      

  Esse checklist é mais largamente aplicado na seleção de fundos abertos. No caso dos fundos fechados, são mais aplicados na seleção de fundos imobiliários. Os ETF são fundos passivos que não requerem uma análise tão minuciosa, pois nesse caso você está investindo num índice de mercado. Porém, cuide de analisar a taxa de administração deles.

  Para seguir esse checklist você precisará analisar o regulamento, o prospecto e a lâmina. Esses são os documentos principais.

  Eu compreendo que é muita informação para ser analisada. Mas calma, não precisa se desesperar. Você pode selecionar mais de um fundo para uma mesma classe de ativos para diversificar. Por exemplo, você pode selecionar mais de um fundo de renda fixa como também selecionar mais de um fundo de renda variável. Você também pode selecionar mais de um fundo multimercado para melhorar a diversificação da sua carteira.                    

  Geralmente você encontra as melhores opções de fundos de investimentos nas corretoras de valores independentes. Nos bancos tradicionais existe uma restrição maior nas prateleiras dos fundos distribuídos. Além disso, muitos desses fundos distribuídos nos bancos são administrados e geridos pelas equipes especializadas dos próprios bancos, que por sua vez cobram taxas de administração mais salgadas.                            

  Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

       

Abraços,

Seja Independente 


terça-feira, 11 de maio de 2021

Qual é o melhor fundo de investimento para mim?

 




Olá pessoal,

 

  Muitos investidores iniciantes se questionam constantemente em relação aos fundos de investimentos ideais para a carteira. Já tratei a respeito dos fundos de investimentos em diversos artigos (ver aqui). Mas hoje eu tratarei desse tema de uma forma mais objetiva.    

  Existem 2 grandes troncos de fundos de investimentos: os fundos abertos e os fundos fechados.            

  Os fundos abertos são mais simples, pois eles possuem um gestor que tomará todas as decisões de investimentos e será responsável pelo recolhimento dos impostos e, sendo assim, o cotista do fundo poderá aplicar e resgatar quantas vezes ele quiser sem se preocupar com o recolhimento do imposto de renda sobre o ganho de capital (lucro).

  As desvantagens dos fundos abertos são: 1) a taxa de administração cobrada dos cotistas é alta, já que uma empresa especializada em gestão de investimentos é contratada para gerir todo o patrimônio líquido dos cotistas; 2) sofre a incidência do imposto de renda come-cotas, que é uma antecipação do recolhimento do imposto de renda que ocorre a cada seis meses, no último dia de maio e no último dia de novembro. Esse nome vem justamente do fato desse imposto deduzir as cotas que os cotistas têm no fundo, ao invés de reduzir o valor da cota. O único fundo aberto que não sofre incidência do come-cotas é o fundos de ações.                   

  Os fundos fechados são mais complexos. Destaco nesse tronco os fundos imobiliários e os ETF (Exchange Traded Funds). As cotas deles são compradas da mesma forma que você compra ações, através do home broker. Portanto, você não pode entrar e sair deles como nos fundos abertos. Você precisa vender as cotas no mercado secundário, sendo responsável inclusive pelo recolhimento do imposto de renda sobre o ganho de capital (lucro). Além disso, a escolha desses fundos requer mais estudo.  

  As vantagens dos fundos fechados, no caso, fundos imobiliários e ETF, são: 1) a taxa de administração cobrada dos cotistas é menor. Alguns fundos imobiliários cobram uma taxa relativamente mais alta, porém geram um retorno maior para o cotista. Os ETF são fundos de índices com estratégia passiva, ou seja, eles apenas replicam um determinado índice do mercado, refletindo consequentemente num menor trabalho para o gestor, que por sua vez cobrará uma taxa de administração muito menor; 2) pelo fato de terem menor taxa de administração, tendem a gerar maiores retornos para os seus cotistas no longo prazo sem correr muitos riscos.                            

  A escolha do tronco se dará pelo perfil de risco do investidor. Aquele investidor com perfil mais conservador provavelmente optará pelo tronco dos fundos abertos, já que ele não tem interesse em estudar o mercado para assumir mais riscos e muito menos ter o trabalho de recolher impostos. Já aquele investidor com perfil mais arrojado terá uma preferência pelo tronco dos fundos fechados, já que a disposição para análise de ativos e recolhimento de imposto de renda será sempre presente. O investidor com perfil moderado é aquele tipo de investidor que poderá ter ambos os troncos de fundos em sua carteira. Ou, dependendo do nível de conhecimento dele, ter apenas um tronco de fundos.   

  Fundos de investimentos são ótimos veículos de investimentos apropriados para qualquer perfil de risco. No meu entendimento, eles devem estar presentes em qualquer carteira individual para fins de diversificação.   

  Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

       

Abraços,

 Seja Independente 


sexta-feira, 30 de abril de 2021

Se você não pode ajudar, pare agora mesmo!

 




Olá pessoal,

 

  Hoje eu gostaria de tratar a respeito de um hábito muito presente na sociedade brasileira, que é o hábito de ajudar um familiar ou um amigo endividado que está passando por dificuldades, mesmo que para isso você comece a entrar em dificuldade. Vou explicar para vocês neste artigo como isso acontece na prática e o porquê de parar imediatamente de ajudar quando você começa a se prejudicar.      

  Sabe aquela irmã, prima ou tia da sua família que está enfrentando muita dificuldade após ser abandonada pelo marido, ficar desempregada e ter que sustentar os filhos? Então, esse é o tipo de pessoa que você terá mais dificuldade para dizer não. Eu sei, é muito difícil. Afinal, somos cristãos e nunca devemos virar as costas para quem amamos.   




  O problema, meu caro colega, minha cara colega, é quando essa pessoa em dificuldade cria o hábito de pedir dinheiro a você, que por sua vez tem muita dificuldade de negar e termina se endividando por causa dessa ajuda ad eternum.

  Quando você se vê numa situação como essa, você precisa imediatamente parar de ajudar e começar a ajuda-la propondo alternativas, como, por exemplo, buscar fontes de renda extra. Essa pessoa que você ama, por mais que ela esteja numa situação difícil, precisa dar a volta por cima algum dia.    

  Compreenda que quanto mais você der dinheiro a uma pessoa que você ama sem a mesma buscar outras soluções, mais você a prejudicará e você terminará se prejudicando também. Em outras palavras, não vai resolver o problema dela e de quebra vai te gerar um problema.

  Na próxima vez que essa pessoa lhe pedir dinheiro, faça o seguinte: explique a ela que tomar mais dinheiro emprestado não resolverá o problema e que a mesma precisa buscar uma outra solução. Caso a mesma não compreenda e ainda por cima fique falando de mal de você pelas costas, simplesmente ignore e não esmoreça nem por um segundo. Você estará fazendo um bem imenso a ela, mesmo que ela não reconheça futuramente.

  Se você é uma pessoa que tem prazer em ajudar financeiramente as outras pessoas e acha que estou sendo cruel, experimente conquistar a independência financeira e ajudar as pessoas numa quantidade infinitamente maior sem você se prejudicar. Tenho certeza de que você se sentirá muito mais realizado como ser humano.                                                 

  Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

       

Abraços,

Seja Independente 


quinta-feira, 29 de abril de 2021

Proteja a sua empresa de você mesmo!

 




Olá pessoal,

 

  Conforme eu já havia explicado diversas vezes nos artigos sobre empreendedorismo (veja aqui), é de suma importância que o empreendedor tenha educação financeira suficiente para tocar um negócio. Tomando isso como premissa básica de empreendedorismo, é necessário que o empresário cuide muito bem do caixa da empresa, sob pena de endividar-se excessivamente. Vou explicar melhor.              

  Eu, particularmente, vejo muitos bons empresários tendo dificuldades de administrar o caixa da empresa. Durante essa pandemia, isso se tornou mais evidente do que nunca. E esse tipo de dificuldade decorre justamente da falta de educação financeira dos empresários.               

  O que acontece na prática? Nos primeiros anos da empresa, o proprietário ao se deparar com um resultado excelente, resolve “raspar” o caixa da empresa. Ele pensa da seguinte forma: “trabalhei duro durante todos esses anos, aportei uma fortuna nessa empresa, me arrisquei, agora eu vou aproveitar porque eu também sou filho de Deus. Eu também mereço”. É aí que mora o problema.                     

  Assim como você deve formar uma reserva de emergência para lidar com imprevistos, a sua empresa também deve ter uma reserva de emergência para lidar com imprevistos. Sabemos que num país como o nosso, onde precisamos lidar com insegurança jurídica e graves problemas sociais, cada empresa precisa se proteger desse tão famigerado Risco Brasil.    

  Para mensurar corretamente o quanto você deve deixar em caixa para formar a reserva, leve em consideração o custo mensal para manter a sua empresa. Recomendo uma reserva equivalente a 12 meses de custo mensal. Se não puder, recomendo no mínimo 6 meses.   

  Você pode estar se perguntando agora: “e se não aparecer nenhum imprevisto? O que eu faço com o caixa acumulado?”. E eu te respondo: você vai reinvestir na sua empresa. Para isso você precisa traçar metas e seguir um planejamento para alcança-las.

  Compreenda, meu caro colega empresário, que o investimento num negócio próprio é um investimento de longuíssimo prazo. Você não pode simplesmente consumir os lucros dela integralmente nos primeiros anos. Você precisa ter caixa para lidar com imprevistos e reinvestir.

  Somente após a sua empresa amadurecer, pronta para lidar com imprevistos, concorrência e outras adversidades, é que você poderá retirar mais recursos dela. Até lá, preserve o caixa.     

    Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira e bancar o padrão de vida que você sempre desejou, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

               

Abraços,

Seja Independente 


terça-feira, 27 de abril de 2021

Você sabe quem foi Bernard Madoff?

 



Olá pessoal,

 

  Vocês já ouviram falar nesse nome? Não? Bernard Madoff foi o criador da maior fraude financeira da história dos Estados Unidos. Ele faleceu recentemente no dia 14 de abril na prisão onde cumpria uma pena de 150 anos (fonte).   

  Se você quiser conhecer melhor a história dele, assista o filme O Mago das Mentiras (Wizard of Lies - 2017), protagonizado pelos atores Robert De Niro e Michelle Pfeiffer (fonte).   


 

Filme O Mago das Mentiras



  O esquema Ponzi (pirâmide financeira) criado por Madoff prejudicou dezenas de milhares de pessoas em um prejuízo que chega a US$ 65 bilhões.                  

  Por décadas ele foi um renomado investidor de Wall Street, tendo inclusive impulsionado a criação da NASDAQ.                       

  Caiu em desgraça após começar a pagar os rendimentos dos clientes antigos do seu fundo de investimentos com recursos captados dos seus clientes novos da empresa de consultoria criada por ele posteriormente, o que configura o crime de pirâmide financeira.  

  Mas aonde estou querendo chegar com este artigo sobre o maior “piramideiro” da história norte-americana? Assim como eu chamei a atenção de vocês neste artigo aqui, eu gostaria de chamar novamente a atenção de vocês para tomar cuidado com pirâmides financeiras.  

  Pirâmides são mais comuns do que vocês imaginam. Cabe a cada um de vocês saber distinguir o que é pirâmide e o que não é. Para isso é necessário adquirir Educação Financeira e controlar a ganância.       

  Compreendam que sempre existirão sociopatas nesse mundo à espera de uma oportunidade para aplicar golpes financeiros em pessoas ingênuas e gananciosas. Não faça parte dessa estatística.   

  Lembre-se sempre: não existe retorno garantido no mundo dos investimentos. Não existe. Muito menos um retorno de 10% ao mês.  

  Adquira o mínimo de conhecimento básico em matemática financeira para evitar ciladas. Quem entende de juros compostos sabe que uma taxa ao mês exageradamente alta pode te tornar bilionário sem fazer esforço. É como diz aquele ditado: quando a esmola é grande demais, o santo desconfia.   

  Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

       

Abraços,

Seja Independente 


domingo, 25 de abril de 2021

Alimentação: o maior gargalo do seu orçamento!

 



Olá pessoal,

 

  Hoje eu gostaria de tratar a respeito do maior vilão de qualquer orçamento doméstico: alimentação. Vou explicar para vocês neste artigo como os gastos com alimentação se tornam de longe o item mais impactante dentro do seu orçamento.      

  Primeiramente, gostaria de lembrar a todos que não estou aqui aconselhando vocês a se privarem de suas comidas prediletas. Seria estúpido da minha parte propor algo do tipo, até porque isso não funciona num controle de gastos para poupar mensalmente. Agora eu vou mostrar para vocês o que acontece no nosso cotidiano:


1) Já pararam para perceber que a maioria esmagadora de nós faz uma lista de compras quando vai ao supermercado, mas nunca estabelece um limite mensal de quanto gastará com esse item? Afinal, quando vamos ao supermercado com os nossos filhos, é muito comum que acabemos cedendo diversas vezes aos caprichos deles: sorvetes, diversos pacotes de biscoitos, iogurtes de diversos sabores, diversos salgadinhos industrializados, e por aí vai... A lista é grande. Não estou propondo dizer não a tudo que eles pedem, mas sim impor um limite para que você não perca o controle do que você gasta com a comida de casa; 


Os preferidos das crianças


2) Falem a verdade: quando vocês vão a uma padaria, não bate aquela vontade de sair colocando várias comidinhas gostosas na cesta? Sempre tem algo novo que você quer experimentar. Muitas vezes é um bolo com um recheio diferente, um prato regional mais elaborado ou uma comida diferente que cai muito bem nas entradinhas que você serve aos seus amigos na sua casa. Um gatilho que você pode adotar nesse caso é estabelecer um valor teto para gastar no estabelecimento antes de pisar o pé nele;


Os preferidos dos adultos


3) Quando vocês vão a um restaurante muito bom com a família, torna-se muito difícil resistir às opções do cardápio, não é mesmo? Na maioria das vezes nós nem olhamos o preço do lado da opção. Afinal, quem nunca foi a um restaurante e tomou um susto ao se deparar com a conta? Nesse caso vocês podem adotar o mesmo gatilho adotado no item anterior. Já estabeleça um valor teto antes de sair de casa.

 

  Eu, particularmente, tenho prazer em comer. Muitas vezes torna-se difícil para mim controlar esse item no meu orçamento e acredito que muitas pessoas passam por essa mesma dificuldade.  

  Uma opção para resolver esse problema é diminuir os gastos com outros itens que não sejam tão importantes para você. Devemos lembrar também que alimentação é um item de necessidade básica e deve ser priorizado em qualquer orçamento, principalmente quando você tem filhos.  

  Mas isso não quer dizer que você deva comprometer o seu orçamento com esse item. Você pode e deve impor limites na comilança. Um gatilho mental que funciona bastante para mim é sempre lembrar que determinados alimentos fazem mal à minha saúde quando consumidos em excesso, enquanto que outros fazem bem à minha saúde quando consumidos diariamente. Portanto, eu sigo uma dieta regrada de segunda a sexta e relaxo um pouco no final de semana. Se vou ao supermercado, evito colocar na cesta alimentos industrializados ricos em gordura e açúcar, mesmo sabendo que são deliciosos!                                                

  Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

       

Abraços,

 Seja Independente 


sábado, 24 de abril de 2021

Você é igual ao Zeca Pagodinho?

 



Olá pessoal,

 

  Já escutaram essa música do Zeca Pagodinho pelo menos uma vez na vida, não é mesmo? Afinal, mesmo que você não curta pagode e samba, o refrão dessa música transmite uma mensagem interessante: “deixa a vida me levar/vida leva eu/deixa a vida me levar/vida leva eu/deixa vida me levar/vida leva eu/sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu”. Você pode estar se perguntando agora: “Pedro, o que diabos essa música tem a ver com investimentos?”. E eu te respondo: muita coisa! Vou explicar para que vocês possam entender.             

  Eu, particularmente, interpreto a mensagem transmitida no refrão dessa música da seguinte forma: Zeca Pagodinho é um artista de origem humilde e ele é grato a Deus por tudo o que ele conquistou durante a carreira. Porém, acredito que muitos brasileiros podem distorcer a interpretação desse refrão. O que eu quero dizer com isso? Muitas pessoas podem achar que Zeca Pagodinho é um artista que está satisfeito com a vida que tem e que, portanto, não precisa se preocupar com mais nada, levando a vida a esmo. Em outras palavras, as pessoas podem achar que Zeca Pagodinho é aquele tipo de pessoa que acredita somente em destino, não importando traçar metas de vida para alcançar e, consequentemente, seguir um planejamento.              

  É justamente esse tipo de interpretação que pode gerar problemas na sua vida. Todo e qualquer ser humano precisa estabelecer metas e se planejar para alcança-las, não importando em qual patamar ela se encontre.                   

  O 1º passo num processo de Educação Financeira é remover a crença limitante de que dinheiro em excesso é prejudicial. Dinheiro nunca é demais. Dinheiro é um santo remédio para aqueles que sabem usa-lo com sabedoria. Se você acha que já tem dinheiro demais e não tem mais para onde crescer, procure ajudar as pessoas necessitadas. Patrocine causas nobres. Isso fará um bem enorme para a sua alma e para as pessoas que recebem a sua ajuda.   

  Portanto, nunca deixe de traçar metas. Após alcança-las, trace novas metas e assim sucessivamente. Fazendo o seu dever de casa constantemente, você alcançará uma infinidade de metas na sua vida.  

  É como diz aquele refrão da música de Martinho da Vila: “é devagar/é devagar/é devagar/é devagar/é devagarinho/é devagar/é devagar/é devagar/é devagar/é devagarinho”. Essa música está bem mais alinhada com o conceito de planejamento de longo prazo do que com a música do Zeca. A mensagem transmitida nesse refrão é a de que você precisa ter paciência e disciplina para seguir o seu planejamento e alcançar as suas metas.   



  Se você deseja educar-se financeiramente para atingir a sua independência financeira e bancar o padrão de vida que você sempre desejou, entre em contato comigo no Instagram (link no início da página). Terei o maior prazer em atendê-lo.        

               

Abraços,

Seja Independente